segunda-feira, 29 de julho de 2013

O Museu Cosme Damião



Portugal 29 de Julho de 2013

Foi finalmente inaugurado o Museu do Benfica, justa e apropriadamente chamado Museu Cosme Damião.
Trata-se de uma obra de vulto que o actual Presidente do clube tinha prometido para o mandato anterior. Trata-se de uma obra que a história e a memória benfiquista pedia há décadas.
A minha relação pessoal com o Museu do Benfica aconteceu desde muito novo. Desde que me conheço como adepto do Benfica (com 8/9 anos de idade) sempre me interroguei porque razão o maior clube de Portugal não conseguia mobilizar vontades e meios para dar corpo a esse espaço, onde os adeptos pudessem tomar contacto directo com a história benfiquista contada através dos troféus ganhos. Pensamentos simples de miúdo...
Anos mais tarde, no âmbito do II Congresso das Casas do Benfica em Agosto de 1997, o Presidente Manuel Damásio mostrou-nos as obras do futuro Museu. Um edifício praticamente concluído em estrutura, ou seja, apenas com tijolos e betão armado à vista. Como sou interessado por estruturas perguntei ao técnico que estava no local explicando a obra feita, o Eng.º Calçada de Carvalho, que me explicasse como funcionavam algumas soluções estruturais da cobertura. Falamos, fiquei com o seu nome e coincidência das coincidências, em 2001 acabei por trabalhar na equipa dele, na gestão das obras do BragançaPolis.
Como alguns (infelizmente poucos) se lembram, Manuel Damásio demitiu-se em Setembro desse ano, alegando “não ter mais formas como inventar dinheiro”, seguindo-se o Presidente Dr.º João Vale e Azevedo que mandou demolir essa obra por não ter licenças municipais e estar a ser construída em zona interdita. Pelo menos foi a explicação oficial.
O processo de construção do Museu não teve evolução nesse mandato nem nos mandatos seguintes do Dr.º Vilarinho e de Filipe Vieira. Até que surgiu como promessa eleitoral nas eleições para o triénio 2009/20012 e numa altura em que o passivo bancário consolidado do Benfica já ultrapassava largamente as duas centenas de milhões. O Museu diz-se ter custado 3 milhões...
1 ano depois do previsto foi inaugurado. Acabou-se a espera. A construção e inauguração do Museu, justamente nomeado “Cosme Damião” é uma obra emblemática e que ficará para todo o sempre.
Finalmente, e após várias décadas, as minhas dúvidas deixaram de ter razão de existir. Em Setembro irei visitá-lo e poderei avaliar a tecnologia que foi utilizada, a forma como foi pensada a circulação interior no Museu, o tipo de exposição que os Troféus terão, etc. Termo de referência: o Museu do Barcelona FC, o único Museu de um clube que até agora visitei.
Como sempre neste novo projecto empresarial do Benfica SAD, não há “bela sem senão”. Na última AG do Clube, fiquei a saber através de blogguers que lá estiveram, que o Benfica Clube contraiu um novo empréstimo de 400 mil euros, para pagamento de despesas relacionadas com a construção do Museu. Até aqui nada de relevante. O que vem a seguir é que se soma a uma enorme quantidade de factos, que fazem pensar e muito, no futuro do Clube dentro desta gestão da SAD. De acordo com o dirigente que apresentou o Orçamento, as receitas contudo, serão atribuídas à Benfica Estádio!
Isto na minha modesta forma de ver, é mais um roubo ao Clube. Por mais explicações técnicas que me dêem, este tipo de opções não bate certo. O Benfica Clube pode ter a maioria da SAD (cerca de 65% do capital social), mas se fosse assim tudo tão linear, porque razão o empréstimo não foi constituído também a partir da Benfica SAD que por sua vez é detentora da Benfica Estádio, que por sua vez vai receber as receitas?
Nos últimos tempos temos assistido a um conjunto de decisões estranhas, no mínimo, para não dizer algo mais “pesado”: os direitos televisivos foram canalizados do Benfica Clube para a Benfica TV. Posteriormente o Benfica Clube abdicou da posição que tinha na Benfica TV para a ceder à Benfica SAD. Agora sabe-se que o Benfica Clube paga o empréstimo referente à Construção do Museu, mas a Benfica Estádio é que recebe o dinheiro das entradas.
Se fosse o Dr.º Vale e Azevedo a fazer este tipo de “engenharia financeira” já andavam aí aqueles que se dizem “notáveis” a expressar as suas teorias da conspiração. Assim não se passa nada... E os sócios do Clube continuam remetidos à sua única condição de pagantes deste tipo de gestão...

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  2. Joseph Lemos, fala mas é dos roubos ao clube ou, eventualmente, de alguma explicação para tanta coisa estranha na gestão do actual Benfica. Preocupa-te com o Benfica, deixa lá o Dr.º Vale e Azevedo em paz. E agora que estiveste cá em Portugal a passar férias tenho pena que não me tenhas convidado a ir "conhecer-te". Como andas de peito feito, pensei que ias dar continuidade a essa arrogância. Uma arrogância covarde. Escondes-te atrás dos teclados.. és um triste "tio"...

    ResponderEliminar