quarta-feira, 6 de agosto de 2014

O fim de uma era...

Portugal 6 de Agosto de 2014

Com a venda de Cardozo ao desbarato termina uma era no Benfica. Uma era desportiva de muitos golos! Nos próximos anos o rendimento desportivo da equipa será muito inferior ao que se verificava com Cardozo, e a época transacta, apesar de bem sucedida em termos de conquistas, evidenciou uma certeza: com Cardozo, o Benfica marcou sempre muito mais.
Assim, é verdade que fomos campeões mas marcamos menos 19 golos no campeonato. Pensar repetir a dose duas vezes, é romântico e ilusório. A saída de Cardozo irá passar factura...
Poderia Cardozo ficar? Poderia Cardozo jogar até aos 100 anos? Obviamente que sim, podia ficar e não, não jogará até aos 100 anos.
Quanto à venda ao desbarato, e apesar de ser anti-Vieira desde 1999 quando vi esse cavalheiro aplaudir os golos do FCP ao Benfica, nas antigas Antas (derrota por 2-0 e acabamos com 10 por expulsão de Rojas), devo referir que me parece que esta venda pode estar associada ao previsível desmantelamento do Benfica Star Funds (BSF), ao qual o Benfica tinha vendido em 2010, 20% dos direitos económicos por 4 milhões de euros.
Com a venda de Cardozo neste momento, e admitindo (quem sabe?) que o BSF vai ser dissolvido a expensas (mais uma vez) do Benfica, podemos dizer que o valor a gastar com a dissolução do BSF se reduziu em 4 milhões de euros. Se como disse o Sr.º Vieira em entrevista, para liquidar o BSF, o Benfica iria precisar de cerca de 30 milhões, digamos que agora só precisa de 26 milhões.
Fica sem se perceber se Cardozo saiu por questões de idade, se por questões de rendimento associado ao seu salário (custo/beneficio), se por questões da gestão financeira da SAD (BSF e outras questões), enfim, ficamos sem saber nada o que não deixa de ser caricato neste Benfica que se dizia “dos sócios” (por oposição ao modelo de SAD de Vale e Azevedo, em que - dizia Vilarinho - ele ficava com tudo e depois vendia a SAD a um investidor e ficava rico).
O que ficamos a saber é que Cardozo pensava em terminar a carreira no Benfica, e eu sinceramente também pensei, porque 4 milhões, que na prática são 8, se contarmos o dinheiro recebido do BSF, é muito pouco para um avançado goleador, que marcou muitos golos e que, apesar da época passada, continuava a ter um jogo táctico importante para abrir linhas de passe para outros colegas rematarem e tentarem fazer golos. Lima, com Cardozo marcou quase o dobro de golos, do que na época passada em que jogou exclusivamente com Rodrigo.
Sem Cardozo iremos voltar aos tempos do Nuno Gomes e do Mantorras, jogadores com boa comunicação social, que primavam mais pela imagem do que pela substância do seu jogo, entenda-se, golos. Se compararmos a única época em que Mantorras jogou com disponibilidade física total, a primeira época, ficamos pelos 9/10 golos! Nuno Gomes, nas quase 10 épocas que esteve no Benfica na sua 2ª passagem, no que diz respeito ao campeonato só por 2 vezes marcou 2 dígitos em número de golos. O número médio era de 7/8 golos! Mas há muita gente que prefere gritar “óoo” e “ahhh, foi por pouco” do que valorizar este “estameiro” que se mexia pouco, mas jogava muito.
O povo benfiquista viveu feliz nesses tempos de Mantorras e Nuno Gomes. A comunicação social “empurrava” uma boa imagem dos dois jogadores para cima dos adeptos do Benfica, ora eram os cabelos ao vento do Nuno Gomes, ora eram os dribles fantásticos do Mantorras, e pronto, no final não ganhávamos porque o treinador é que não sabia.
Vivemos na penumbra de um grande clube, na penumbra do que é uma grande equipa. Há muita gente a governar-se parasitando os interesses do Benfica, mas que de futebol pouco ou nada percebe. Percebem é de ligar a rede de rega e apagar as luzes quando a sua incompetência brutal nos dá amargos de boca, e fazer comunicados idiotas quando ganhamos qualquer coisa no basquetebol em casa do principal rival. Mas da competição, de valores, de ética, percebe zero!

Tacuara saiu. Virou-se uma página gloriosa. Curioso é existirem tantas semelhanças com a forma como Eusébio foi dispensado do Benfica nos anos 70...

5 comentários:

  1. sonhar e fácil difícil e manter o clube dentro do mercado internacional,fazendo sucesso q põe alguns a vomitar disparates

    ResponderEliminar
  2. “Sonhar é fácil”? Sim, para os “vieiristas” que sonharam com o regresso do Benfica aos tempos de glória desportiva e se ficaram por 3 campeonatos em 14 anos... e mesmo esse com pagamento de centenas de milhões de euros em juros à Banca, comissões aos empresários com o Presidente a negociar como bem quer e lhe apetece e os burros a pagarem....

    Mesmo assim só ao oitavo treinador acertou com alguém que conseguiu tirar partido dos investimentos brutais que estavam a ser feitos para enriquecimento de muitos... mas não das vitrinas do Museu do Benfica...

    “fazendo sucesso no mercado internacional”? Só vejo sucesso para o Jorge Mendes. O Benfica investiu milhões tem um treinador à altura, e na final somos roubados contra o Sevilha e o Presidente fica calado?

    Se o Benfica fez algumas “flores” estes últimos anos, também se deve aos golos do Cardozo. Sem Cardozo, que afinal ainda vai jogar mais um par de anos, vamos ter menos golos marcados, como se viu no campeonato, e vamos ganhar menos, desportivamente falando.

    Sonhar é fácil, pois claro.. pena que certos adeptos, que não têm massa encefálica adequada a um clube com os pergaminhos do Benfica, possa “vomitar” com tanta facilidade...

    ResponderEliminar
  3. Fiquei parvo da vida com a noticia sobre o Bernardo, Ivan e Cancelo. Estamos em saldo.
    Vai haver um Benfica bom e um Benfica mau.
    É o "Benfica dos sócios" que temos.
    Houve quem avisasse sobre este aventureirismo!

    ResponderEliminar
  4. Olá Olho Vivo... não sou hipócrita e por isso, mesmo não gostando de Vieira e achando que ele é o responsável pela subalternização desportiva do Benfica e pelo caos financeiro-economico, a minha opinião vai no sentido que os jovens que falas não têm espaço num Benfica de topo.

    Contudo tens razão num ponto. O tal que faz que é Presidente, afirmou que queria um Benfica com muita gente da Formação. Acho que até fixou uma quota. Assim de cabeça não lembro. Ah, pois, estavamos no rescaldo da morte do Eusébio e a demagogia que o orienta, não o deixou controlar-se...

    Já há quem lhe chame o Presimente .... Mas como dizes, este é o Benfica dos sócios, o Benfica das promessas de "Viravinho" e C.ª de notáveis que andaram 3 anos encostados aos inimigos do Benfica, a atazanar-lhe o dia a dia de uma gestão difícil, cheia de dividas herdadas, mas a falta de receitas por terem sido antecipadas pro Damásio (direitos televisivos)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

      Eliminar