quinta-feira, 3 de outubro de 2013

30 anos... 3-0...



Portugal, 3 de Outubro de 2013

Recentemente e após uma brilhante vitória em Guimarães por 1-0, com 2 penaltys claros não assinalados a favor do Benfica, uma entrada por trás a Luisão aos 30 segundos, não sancionada disciplinarmente e um fora de jogo mal assinalado a Enzo Peres aos 3 mn que o deixava na cara do guarda redes, o “faz-que-é-presidente” do Benfica decidiu dar sinais de vida a um órgão de comunicação social, a CM TV.
Como aliás faz sempre, o Sr.º Empreiteiro só costuma aparecer quando as coisas correm bem ou dão indícios de começarem a correr bem.
No caso, a escolha da CM TV terá a ver com a “coincidência” de dois ou três dias depois, ser anunciado que esta TV irá divulgar alguns minutos dos jogos do Benfica em casa. Acordos com a Benfica TV, ou seja, mais umas borlas que a Benfica TV dá a um órgão concorrente, para que essa estação fale menos dos sucessivos erros de gestão e da incerteza do actual projecto empresarial do Benfica, aprovado em AG a 21 de Fevereiro de 2001. Há mais de 12 anos portanto...
Nessa entrevista, o Sr.º Empreiteiro falou de muita coisa. Falou de coisas interessantes e que dignificam o lugar de Presidente do Clube, mas falou também de algo mais que me levou a concluir que essa entrevista era apenas mais do mesmo: promover o culto do líder.
Entre outras coisas (e repare-se que estávamos numa fase boa após a vitória em Guimarães), Vieira falou que este “é o melhor plantel dos últimos 30 anos” e que “não é proibido sonhar com a presença na final da Champions que se joga no estádio da Luz”, lançando até alguns recados a Jorge Jesus, como aquele de que a “próxima final é para ganhar”.
Menos de oito dias depois, contra o Belenenses somos gamados pelo árbitro Jorge Joaquim Martins de Barros Tavares, nascido em Vila Nova de Gaia, embora residente no distrito de Aveiro, mais um que sendo consultor de empresas (site da Liga) se dedica a esta actividade “ingrata” como é a arbitragem, e que foi assistido pelos árbitros José Oliveira e Luís Castaínça.
Não é pois coincidência, qualquer semelhança com as entrevistas que deu em 2012 à RTP2, quando tínhamos 5 pontos de avanço sobre o FCP (logo a seguir gamados por Carlos Xistra em Guimarães e Hugo Miguel em Coimbra, e depois por Proença), ou quando em Abril de 2013 apareceu na TV após eliminação do Fenerbahce e acesso à final da Liga Europa, a dizer “Jesus é o meu treinador” e logo de seguida empatamos em casa com o Estoril 1-1 em que o golo adversário é precedido de um fora de jogo de posição com intervenção na jogada, o FCP ganha em Paços com 1 penalty, de uma “não falta” fora da área e perdemos a final da Taça com 1 golo em fora de jogo de quase 1 metro. Ele fala, nada diz que atemorize quem manda, e com isso quem paga é a equipa de futebol...
O Sr.º Empreiteiro é um impostor, um farsante e um charlatão.
Impostor, porque não consegue mostrar a edição do jornal Benfica onde aparece o nome dele como águia de prata, tendo em conta a data de filiação que diz que tem. Farsante, porque discursa num sentido, mas a sua actuação vai no sentido oposto, quando não chega a dizer hoje uma coisa e desdizer-se pouco tempo depois. Charlatão, porque desde que criou o slogan “equipa maravilha” no inicio da época 2001/2002 para justificar os muitos milhões de contos gastos em Simão e Mantorras, entre outros ex-jogadores do FCP com salários elevados e nunca mais deixou de promover a ilusão de sócios e adeptos com as suas “mezinhas” que tenta comparar aos mais poderosos remédios. Agora é a história do “melhor plantel dos últimos 30 anos”, para justificar os 32 milhões de euros gastos com contratações, e respectivas comissões, tudo desnecessário como se tem visto em matéria de arbitragem...
Sabendo que existe pressão externa sobre o treinador do Benfica, pelos interesses de FCP e SCP na comunicação social, (ler meu texto de 16 de Agosto intitulado “a pressão”), o Sr.º Empreiteiro afirmou também que “recusou propostas de 130 milhões de euros, para manter uma equipa competitiva que permita atacar todas as provas, incluindo a Champions”. Não teve problemas em mentir para reforçar a sua tese e justificar os 32 milhões de contratações, tal como fez há uns 4/5 anos quando afirmou (em campanha eleitoral) que “não estou preocupado com o passivo, pois vendo 2 ou 3 jogadores e deixo o passivo a zero”, quando tínhamos Di Maria, David Luis, etc, que já saíram... e o passivo aumentou!
A arte do Sr.º Empreiteiro é enganar, iludir e alimentar os sonhos dos incautos adeptos, não porque saiba que se podem concretizar, mas porque precisa que os sócios e adeptos lhe dêem o dinheiro das quotas, do merchindising, da Benfica TV, etc., para poder continuar a gastar nas contratações de jogadores (e comissões), mantendo em alta o volume dos empréstimos bancários... Os sonhos da Champions enquadram-se nessa estratégia...
O Benfica perdeu 3-0 com PSG, e perdeu bem. Aplauda-se a nossa equipa como fizeram os belgas quando perderam cá 2-0. Tivemos o azar de sofrer um golo cedo que derrubou o plano de jogo Tivemos o azar do Ibrahimovic (8 milhões de salários por época enquanto nós pagamos 20 milhões de juros ao BES por ano), ter feito um grande jogo e marcado 2 golos. Tivemos o azar do PSG ontem ter tido um início de jogo quase perfeito onde tudo lhe saiu bem, e a nós quase tudo saiu mal. Glória aos vencedores, honra aos vencidos.
Ao contrário de Leonor Pinhão que hoje admitiu que pensou em Vigo durante o jogo de ontem, eu nunca tive dúvidas que isso não aconteceria. Porque sei quanto vale esta equipa, este treinador e a relação entre o treinador e os jogadores. Eu confiei e confio, mas haverá jogos que iremos perder pois temos 2 sérvios (Djuricic e Suljamni) a mais e qualidade global a menos do que no ano passado. É a minha percepção do nosso futebol. Pinhão lá terá a sua...
Recordo o 1º parágrafo do texto que escrevi em 16 de Agosto: Sob pressão é uma das mensagens mais utilizadas hoje nos títulos do RECORD online, e que demonstra uma estratégia de comunicar desse jornal, assumida, enquanto os outros dois jornais optam por outras formas menos assumidas mas que procuram o mesmo objectivo: colocar o Benfica sob pressão”.

1 comentário:

  1. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar