segunda-feira, 24 de junho de 2013

O mau exemplo do Futsal II



Portugal, 24 de Junho de 2013



Em 27 de Março escrevi aqui um texto sobre “o Mau exemplo do Futsal”, onde abordei vários aspectos que me pareceram errados no que diz respeito quer ao despedimento do anterior treinador, Paulo Fernandes, quer no que diz respeito à estratégia da Direcção para as modalidades de pavilhão.


Escrevi na altura: “Despedido André Lima, que havia conquistado a inédita Champions League para as vitrinas do futuro museu, foi-se contratar o treinador que havia derrotado o campeão André Lima: Paulo Fernandes. Agora despede-se Paulo Fernandes e vai-se buscar outro treinador, a quem desejo a maior das sortes, mas que está condenado ao insucesso”. 


Claro está que recebi alguns comentários pouco abonatórios, próprios de quem continua a ver o Benfica pela imagem do Presidente, ou do “Faz-que-é-presidente”, e não pela ponderação serena e calculista, dos actos de gestão que são aprovados por ele. Ou que no mínimo merecem a sua concordância.


O treinador estava condenado ao insucesso porquê? Por várias ordens de razões. (1) Porque o SCP estava a fazer um excelente campeonato, e nós não, não só porque o SCP estava melhor, mas porque tivemos lesões e castigos que impediram a equipa de se apresentar na máxima força em alguns jogos. (2) Porque pontualmente fomos prejudicados pelos erros da arbitragem, em particular no 1º jogo em casa do SCP, onde somamos mais uma derrota. (3) Porque a secção utilizou as derrotas contra o treinador, fragilizando mais a sua posição que é frágil por natureza, sempre que no Benfica se perde um jogo.


Posto isto resulta que (1) o novo treinador não ia alterar a excelente prova que o SCP estava a fazer e pelo contrário, iria trazer modelos de treino e de jogo que os jogadores demoram tempo a assimilar. Ora assimilar modelos de jogo com a competição a decorrer, é um risco. E no desporto os riscos costumam-se pagar caro. Assim nesta fase de transição, fomos eliminados pelo Braga da Taça de Portugal, pavilhão onde também tínhamos perdido para o campeonato. Apesar de estarmos avisados, voltamos a perder. Com um novo treinador.


(2) Os erros de arbitragem continuariam a ter a matriz anterior porque ao mudarmos de treinador, assumimos – em termos de estratégia - que o problema principal não eram os erros dos árbitros. E com isso deixamos aberta a porta para quem manda neles, os continuasse a instruir da mesma maneira. O que foi bem elucidativo no jogo 3, com 2 penaltys do tamanho do Estádio da Luz, a não serem assinalados a nosso favor, com resultado 1-2 num caso e 1-3 no outro. Penaltys que bem poderiam ter alterado o rumo dos acontecimentos. No jogo 4, a 6ª falta contra o SCP nunca apareceu, nem mesmo quando César Paulo foi derrubado de forma bem evidente, com o resultado em 1-1. Estes lances são tão importantes que o Benfica levou 1 golo, de empate no jogo 3, de livre directo quando atingimos as 6 faltas mais ou menos a meio da 1ª parte!


(3) Por último, ao ter acentuado a erosão do papel do treinador Paulo Fernandes, por via das suas derrotas, em vez de o defender das críticas e das arbitragens, a Secção (com apoio da Direcção) criou um problema antes sequer de ele existir: caso o novo treinador falhasse, a sua liderança ficava desde logo em causa e a solidez da Secção também. Isto não é da minha cabeça... é dos “livros”! 


A pergunta que se impõe é: e agora? Alguém consegue imaginar a nova época ser iniciada com o actual treinador, que estava condenado à partida, e que ao longo da prova apenas confirmou que o problema do Futsal, não era de treinador? Alguém consegue imaginar a Direcção reconstruir uma equipa de Futsal para salvar “a pele” deste treinador (e da Secção), sem serem confrontados com a pergunta “se o problema era de plantel, porque despediram Paulo Fernandes?”?


O despedimento de Paulo Fernandes e sua substituição por um treinador a meio da prova, estava não só condenada ao insucesso desportivo, como também estava condenada a criar novos problemas sequentes a esse falhanço desportivo. Agora não é só o treinador que está em causa, como toda a Secção! E a Direcção que apoiou as decisões da Secção...


O procedimento correcto teria sido apoiar o ex-treinador, defendê-lo quando as arbitragens erraram muito mais do que os nossos jogadores, preparar os Play-offs da melhor maneira possível, com a recuperação física de jogadores e com a defesa intransigente do estatuto de liderança do ex-treinador, esperar pelo final da prova e fazer um balanço. Ganhou? Tirava-se uma conclusão. Perdeu? Toda a gente acharia normal a substituição do treinador campeão no Benfica e no SCP.


Assim, a Secção e a Direcção criaram, por grosseira incompetência, um problema sério e que, para variar, vai custar dinheiro desnecessário. Os sócios como sempre pagam e aplaudem... 

5 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  2. Temos um vigésimo membro neste humilde e provocante blogue. Obrigado pela confiança que deposita e espero que as expectativas não saiam defraudadas. Aqui vive-se o Benfica em primeiro lugar, os sentimentos dos sócios e adeptos em segundo lugar.

    ResponderEliminar
  3. Recebi este comentário noutro blogue onde também coloquei este texto. Pela sua importância justifica-se a divulgação:

    Anónimo24 Junho, 2013 23:26

    Convinha antes de debitarem os post´s soubessem realmente alguma coisa e não atirarem para o ar situações que obviamente não sabem.
    Vamos lá ver uma coisa o Futsal tem 12 anos no clube e nesses 12 já ganhou TUDO mas mesmo tudo o que há para ganhar é a modalidade com mais exito no clube na ultima decada (tomara qualquer modalidade ter ganho o que o futsal ganhou neste 12 anos) convem lembrar isto.
    Quanto á epoca pessima posso dizer que foi o fim de uma era e o inicio de outra que voltará a ganhar. Temos as pessoas certas para isso. O futsal desde o ano passado (onde recordam-se ganhamos tudo) estava uma bandalheira com muitas pessoas incompetentes na secção, pessoas essas que hoje já não fazem parte da secção desde treinadores a dirigentes. A restruturação que está e vai ser feita é diga-se mais importante que seria ganhar ou não o titulo. Podem crer tomara que por exemplo o futebol estivesse a fazer o que o futsal está a organizar e restruturar-se. Alipio (no fundo o nosso fundador) está a fazer uma nova "fundação" do futsal do Benfica repito tomara que todas as modalidades tivessem o trabalho que se está a fazer no futsal.
    Depois algumas notas por parvoices que aqui se tem escrito em comentários:
    - João Pinto é um excelente treinador informem-se mas mais do que tudo terá o grande apoio de Alipio isso sim é importante;
    - Alípio saiu do Benfica por sua vontade, não foi despedido apenas algumas pessoas que estavam no clube não o queriam ver pessoas essas que hoje tiveram que sair por ser incompetentes;
    - Paulo Fernandes é um grande treinador e um grande profissional dos melhores que alguma vez estiveram no Benfica. Um grande homem que teve que sair perante as circunstancias que um secção á deriva, sem liderança e um plantel partido. É um grande sr. e diga-se por tenham respeito a quem sempre defendeu o clube;
    - Não devia referir nada mas ao pedir respeito ao Paulo Fernandes apenas digo que teve um problema gravissimo de saúde a representar o clube para ser suave;
    - O plantel vai levar uma revolução com muitos e grandes surpresas a sairem. O tempo desses passou e a acomodação é evidente;
    - A lagartada que festeje bem pois dificilmente festejaram nos proximos tempos mesmo tendo o bom treinador que têm. E já agora 2 dos novos campeões neste fim-de-semana já se começaram a habituar ás sensações que iram viver brevemente;

    Trabalho no futsal do Benfica por motivos obvios terei de ser anonimo.

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar