quinta-feira, 19 de setembro de 2013

O primeiro zero...

Portugal, 19 de Setembro de 2013

Ao fim do 5º jogo oficial desta época, finalmente conseguimos manter as redes da nossa baliza invioladas, o que é sempre um tónico para o jogo seguinte. Dá-se a curiosidade de tal ter acontecido num jogo da Champions, prova teoricamente mais difícil do calendário, e não numa prova de grau de dificuldade inferior. Será isto normal?

Claro que não é. O facto é que hoje podemos dizer que ficamos a zero na nossa defesa porque o árbitro estrangeiro invalidou um golo aos belgas, já que o marcador do golo, ou participante activo no mesmo, estava em fora de jogo. E mais. Ao mn 43 da 1ª parte, foi também assinalado fora de jogo ao ataque do Anderlecht, num lance igual aos que cá em Portugal, a favor de FCP e SCP não são assinalados: quando o avançado está em posição incorrecta no instante em que a bola lhe é endossada, mas na sequência da trajectória da bola, ele passa a ter mais do que 2 jogadores entre si e a linha de baliza.

Como referi no texto anterior, a nossa comunicação social, numa lógica que podemos considerar enquadrada na “arte” da mentira ou da ilusão, tem criado a normalidade da anormalidade das arbitragens nacionais. Ou seja, há um erro grosseiro de arbitragem que favorece FCP ou SCP? Simples: transforma-se em difícil leitura, o árbitro não tem televisão e as repetições que nós (jornalistas) temos aqui no estúdio ou essa peregrina interpretação da lei do fora de jogo que é defender que “se ele estava deslocado no início do lance, pouco depois já não estava”.

Como se viu, para os árbitros estrangeiros as leis de arbitragem são outras. E graças a uma simples decisão de um árbitro, conseguimos finalmente ter um jogo sem sofrer golos! Afinal ter boas defesas, poucos golos sofridos é uma questão que não depende única e exclusivamente do desempenho das equipas, mas sim e em particular, da decisão dos árbitros!

Ora. Se recuarmos aos 4 jogos feitos no campeonato nacional, recordamo-nos que o 1º golo do Marítimo, obtido de penalty, é precedido de uma situação de fora de jogo do avançado. No 2º golo do Marítimo o marcador também está ligeiramente deslocado. No único golo do SCP, o marcador estava deslocado na mesma distância que estava o avançado belga aos 43 mn.

Mas nestes casos, infelizmente para nós, os árbitros não decidiram assinalar fora de jogo. Porquê? Bem, se calhar estavam distraídos, como disse o Proença para justificar o escândalo de há 2 épocas atrás. Mas estariam mesmo?

Se voltarmos aos jogos do Benfica e em particular à quase derrota contra o Gil Vicente, o assistente que acompanhou o ataque do Benfica na 2ª parte, Benfica que estava numa situação desesperada, conseguiu ver – bem – dois foras de jogo em que Rodrigo e Luisão estavam em posição deslocada inferior às atrás referidas que precederam os golos do Marítimo e SCP! Depois não viu um jogador do Gil cortar uma bola com o braço ao mn 86, apesar de estar a menos de 10 metros do lance... Ou seja, viu os lances difíceis – que eram contra o Benfica, mas não viu o lance fácil, que era a favor do Benfica.... Distraído? Francamente...

No fundo, e resumindo, os árbitros portugueses têm uma sensibilidade muito apurada quando se trata de decidir foras de jogo ao ataque do Benfica, mas já não têm qualquer tipo de sensibilidade para decidir jogadas dos adversários do Benfica, nas mesmas condições. E se projectarmos o critério para os jogos do FCP e do SCP constatamos, sem grande dificuldade, que a “sensibilidade” se inverte radicalmente da área para onde eles atacam, e da área por eles defendida. Daí não conseguirmos ver o FCP ou o SCP sofrerem 1 golo em fora de jogo, mas em contra partida marcarem alguns. Então o SCP este ano bate todos os recordes da estatística: em 2 jogos consecutivos cometeu a proeza de ter os seus primeiros golos obtidos em fora de jogo. Do FCP podemos encontrar exemplos semelhantes. Mas e do Benfica? Há quantos anos o Benfica não tem validado um primeiro golo em fora de jogo?

É pois com alguma estupefacção, não muita reconheço, que verifico que a sondagem que o blogue NovaGeracaoBenfica lançou sobre o que fazer depois de vermos as arbitragens das primeiras 4 jornadas, tem no primeiro lugar, num empate técnico, as opções “retirar o apoio a Fernando Gomes presidente da FPF” e “temos é de ganhar os nossos jogos pah”.

Quer dizer que apesar do que temos visto anos e anos a fio, agora contestado com o simples exemplo do árbitro que invalidou o golo dos belgas, continua a existir uma enorme quantidade de adeptos que defende que, ganhando os nossos jogos isso basta para, presumo ser campeão.

Ou seja, para esses adeptos, o FCP não ganha jogos com golos em posição de fora de jogo, ou penaltys inexistentes. Não faz pontos com essas manigâncias da “hiper sensibilidade” dos árbitros. Nada disso. Se nós ganharmos os nossos jogos, isso basta, nem que para cada 2 golos ilegais que os árbitros validem aos nossos adversários, tenhamos de marcar três... mesmo que dois sejam anulados por pretenso fora de jogo...

O Benfica caiu e não se levanta. Quando os adeptos defendem a lógica do impossível, obviamente que o FCP (e o SCP agora) esfregam as mãos...


Quem não teve zero mas sim nota 20, foi o Calado nos comentários da Benfica TV. Sereno, intérprete sensato das incidências do jogo, leitura acertada das substituições, enfim, uma grande noite de comentários... de fazer inveja a muitos pseudo analistas que já criaram raízes nos programas da treta. Parabéns!

11 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  2. Gervádio, aka Joseph Lemos, tu é que deves saber dessas coisas...

    ResponderEliminar
  3. Como verifiquei que existiam umas gralhas no texto, tive de lhe fazer uma pequena correcção... as minhas desculpas...

    ResponderEliminar
  4. Para mim é bastante claro que neste momento o poder está, prioritariamente, a apontar as suas armas contra o SLB. Para a tarefa se tornar mais fácil dão rabanetes ao SCP e com isso neutralizam ou colocam ao seu lado uma parte importante da opinião publica desportiva. Quando este objectivo for alcançado poderão então tratar de aviar o SCP e favorecer amigos do peito.

    O maior drama do desporto português (porque estas questões da arbitragem e do controlo das instituições não é, como se sabe, um exclusivo do futebol) é a atitude patética sistemática do SCP, que prefere, sempre, que o FCP saia vencedor e lhe dá a cobertura que necessitam. O outro drama é que os dirigentes do SLB não possuem nenhuma estratégia para obstar esta situação.

    Por aqui me fico mas teria muito mais a dizer...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Olho Vivo.. eu não teria sintetizado melhor o actual estado de coisas .. apenas acrescentaria que a estratégia ficou consumada com o assalto, por via democrática e mediática, ao Benfica... sem isso, o puzzle não se podia fechar a favor deles, como acabou por se fechar...

      Dando exemplos do que você acabou de referir, repare que ontem a 1ª página da BOLA dava os louros da promoção de André Martins ao actual treinador do FCP, valorizando a escolha dos dirigentes portistas e desvalorizando a contribuição da estrutura do SCP, mas já hoje a 1ª página é o Quintero e a possibilidade de igualar um goleador que deixou marcas fortes em Portugal, Mário Jardel... ontem foi a favor do FCP e contra o SCP, hoje já é a favor do SCP... A ordem de preferência fica bem explicita se referir que amanhã, a 1ª página e sobre Benfica, mas parta colocar pressão e não para elogiar ou deixar boas referências...

      Eliminar
    2. Quanto ao SCP, não vale a pena perder muito tempo a tentar perceber.. eles são visceralmente anti-Benfica e isso torna-os estúpidos...

      Eliminar
  5. Sempre que posso venho aqui ler os seus posts e tenho verificado uma espécie de guerrilha entre o eagle e Gervasio Cutileiro para além de este ser confundido com outro personagem.
    Devo dizer-lhe que Gervasio Cutileiro é irmão de um cunhado meu e vive em Lisboa, mais precisamente em Algés. Conheço-o embora superficialmente e posso garantir-lhe que ele nada tem a ver com o tal Joseph. Se se conhecem ou não,mesmo virtualmente, sinceramente não sei mas que um não é o outro posso garantir.
    Espero que a informação ajude e continue com os seus interessantes textos.
    Cumprimentos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelo esclarecimento. A minha suspeita que Gervásio e Joseph Lemos são a mesma pessoa baseia-se única e exclusivamente no tipo de linguagem utilizada. Se me der um endereço de correio electrónico, posso-lhe mandar uma compilação do que esse "cavalheiro" escreve por aqui. Se o César está ligado à família dele por laços de cunhado, teria um certo interesse em conhecer o "verdadeiro" Gervásio Cutileiro, para assim poderem perceber do que ele é capaz... E do porquê de eu o ter desafiado várias vezes a encontrar-se comigo para acertarmos contas pessoalmente...

      Quanto à sua opinião sobre os textos, apraz-me registar que conseguimos estar em sintonia... Obrigado por contribuir para o número de leitores... é sempre bom saber que o nosso trabalho, desinteressado embora polémico, tem algum tipo de aceitação... Viva o Benfica!

      Eliminar
  6. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  7. Gervásio, aka Lemos... o que o César diz ou não diz, apenas vale quando me enviar um endereço de e-mail para eu poder mostrar o que tu escreves aqui. Para ele poder mostrar ao irmão do cunhado... Quanto ao nosso encontro eu é que estou à espera que marques sitio e data para o basta2002@gmail... Cobarde e fdp é o que és... será que vais voltar a não responder ou queres que te pague o bilhete de avião?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

      Eliminar