terça-feira, 24 de setembro de 2013

Operação branqueamento

Portugal, 24 de Setembro de 2013

O Benfica venceu no sempre difícil campo do Guimarães (o benfiquista Joaquim Rita diz que não), com um golo de Cardozo e uma exibição utilmente sóbria. Finalmente vê-se algum respeito do treinador pelas dificuldades que alguns clubes nos colocam, e a prova disso é a opção pelo modelo de jogo 4-2-3-1, com Djuricic atrás de Cardozo, Fejsa e Matic como médios interiores volantes, Enzo e Markovic como médios ala, e a já habitual linha defensiva, salientando-se a opção por dois defesas laterais altos como Siqueira e André Almeida.

Também, e uma vez mais, o Benfica foi penalizado (outra vez) por umas quantas decisões do árbitro Bruno Esteves e seus auxiliares, que tiveram influência directa no resultado final. Aos 30 segundos uma falta por trás a Luisão, passou sem sanção disciplinar, quando estamos perante o que na gíria se denomina “tackle deslizante com risco para a integridade física do adversário”. Aos 3 mn o auxiliar assinalou 1 fora de jogo a Enzo Perez que ficava na cara do guarda-redes com forte possibilidade de fazer golo. Se compararmos com a facilidade com que, na situação inversa, os nossos adversários nos marcam golos precedidos de fora de jogo, mais ou menos claros, como Marítimo e SCP, temos de concluir – uma vez mais – que isto não acontece por acaso e faz parte de um manual de arbitrar, criado para dificultar o acesso do Benfica à baliza adversária. Temos depois os já habituais penaltys não assinalados a nosso favor. Um por corte com o braço de Abdoulayeh, jogador emprestado pelo FCP, e outro por derrube claro a Lima. Entre estes dois lances, muitos outros lances ocorreram com a componente disciplinar a ser mal aplicada, mais em favor do Guimarães, mas a comunicação social, na também já habitual operação de iludir e enganar, quis fazer crer que apenas aconteceu um lance em que Siqueira podia ter levado o 2º cartão amarelo.

Ah, estou a dizer mal. Parece que a bola cortada com o braço do Abdoulayeh não era penalty. A fazer fé nas 1ªs páginas dos jornais de Lisboa (RECORD e BOLA) só era penalty o lance igual, a favor do SCP contra o Rio Ave, ou aquele que os adeptos do FCP ainda hoje invocam para contrabalançar ao golo 2 metros em fora de jogo de Maicon, um suposto penalty em que a bola vai contra Cardozo que está nas costas do defesa do FCP que falhou o cabeceamento....

Esta jornada acabou por ser peculiar pois FCP e SCP também perderam pontos, depois de estarem em vantagem no marcador (facto que passou despercebido aos analistas avençados de serviço, ao contrário do que acontece com o Benfica). O caso do FCP é mais interessante porque tendo sofrido um golo de penalty cometido fora da área (igual ao que lhes foi oferecido contra o Marítimo), não conseguiram ganhar a um adversário, que tem um orçamento bem inferior (não é esta a conversa que ouvimos quando se trata do Benfica?)...

A medo, a comunicação social ainda destacou o primeiro erro do árbitro, a expulsão perdoada a Otamendi aos 11 mn por derrube ao adversário que só tinha o guarda-redes, entre ele e a linha de golo. Ainda na semana passada vimos o famoso Capela expulsar um defesa do Estoril por ter feito uma “falta” (que não fez) junto à lateral esquerda da grande área (ainda por cima levou com 1 penalty), lance que deu polémica entre alguns comentadores e blogues, pelo que não se compreende que este árbitro de Vila Real, imune a essa polémica, se tenha esquecido de aplicar a lei e expulsado Otamendi. Beneficiado ficou duas vezes a equipa do FCP, pois não tiveram de correr 80 mn, 10 contra 11, desgastando-se e tendo resultado mais incerto. E na próxima jornada teriam de meter novo jogador a central, com alguns riscos inerentes aos automatismos.

A arbitragem esteve pois e uma vez mais no nível que tem estado, naquilo que tenho referido como a “normalidade” da anormalidade, e o que é que a comunicação social faz? Aproveita-se de um momento menos bom do nosso treinador, que defendeu um adepto para além dos limites do razoável, e pronto, temos assunto para as próximas semanas. De forma simples e expedita, acabou o tema arbitragens e começou o tema Jesus.

Esta estratégia da comunicação social contudo está eivada de erros e demonstram a falta de qualidade que grassa nessa área: 1) Afirmaram que a PSP tinha colocado Jesus sujeito a termo de identidade e residência, o que é falso, pois só o Ministério Público pode propor essa medida de coacção que depois terá de ser validada por um juiz, 2) Mencionaram a existência de agressões, quando pelos vistos o relatório da PSP apenas refere impropérios e gestos impróprios. O que também é visível nas imagens.

Se querem dar a ideia que estão preocupados com situações incorrectas que ocorrem dentro dos campos de futebol, ao menos parametrizassem o problema de Jesus com o uso de força excessiva que alguns stwearts e policias de serviço empregaram em alguns adeptos do Benfica, tratando-os como se fossem terroristas! Já repararam se tivessem feito o mesmo ao puto adepto do SCP que atravessou todo o relvado do Estádio do Algarve para ir pedir a camisola aos jogadores do SCP, apenas há 8 dias atrás?

Esta operação branqueamento/crucificação de Jesus, 1) permitirá ao FCP e a Vítor Pereira, corrigirem os erros das nomeações da semana anterior, com a maior das tranquilidades, 2) dá jeito para abafar o processo judicial (sim, este está mesmo a correr nos Tribunais) que existe entre o benfiquista Valdemar Duarte, e Pinto da Costa e outros responsáveis do FCP que o ameaçaram de morte e 3) ninguém pôde perceber que quando a equipa do FCP não é suficientemente ajudada e sofre 1 penalty com 0-0 ou 0-1, não conseguem ganhar os seus jogos.


Jesus é grande...

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  2. Gervásio, enquanto o teu "familiar" não me enviar o seu endereço de e-mail para eu lhe mostrar as barbaridades que por aqui escreves, vais continuar no "Lixo"... não te armes em herói, porque, para quem não sabe, já te convidei várias vezes a marcares encontro, mas tu, não queres.. és um covardolas... mas não me dou ao luxo de te pagar o bilhete dos States para cá... repito pela última vez: tens o basta2002@gmail.com para acertarmos os pormenores do encontro.. até lá, és um cobarde...

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  4. Não há maior nojo nem filho da puta como tu, lambedor de cu corrupto.

    ResponderEliminar